23/03/2017

Sarau Casa de Cultura Tremembé










CASA DE CULTURA TREMEMBÉ
RUA MARIA AMÁLIA LOPES DE AZEVEDO 190
TREMEMBÉ--SÃO PAULO
TEL. (011) 2991-42-91

SARAU LÍTERO-MUSICAL
DIA 25 DE MARÇO DE 2017
HORÁRIO:17 ÀS 19 HORAS

VENHA MOSTRAR SEU TALENTO!

DESDE JÁ MUITO OBRIGADA!


Foto pertencente aos organizadores e permitida para uso de divulgação do evento aqui neste blog

20/03/2017

Reflexões de outono













O outono chegou de mansinho,
conduzindo a característica melancolia,
sua temperatura mais fria,
convida-nos á reflexão,
introspecção,
vontade de estarmos sós.

Como uma folha amarelada,
pelo vento arrancada,
vejo meus pensamentos a vagar,
flutuando suavemente pelo ar,
pousando calmamente no empoeirado chão.

Observo calmamente,
essa intermediária e curiosa estação,
na qual as frutas são colhidas,
após lenta e longa jornada de crescimento.

Questiono internamente,
se não é esse o correto e sincrônico momento,
de refazer objetivos e planos idealizados,
a fim de vê-los na primavera materializados.

O outono representa na natureza,
o equilíbrio das estações,
o meio-termo justo e coerente,
entre o calor e o frio,
para ensinar-nos a experimentar,
na nossa vida diversas formas de visões.



Elza Ghetti Zerbatto

O outono neste ano no Brasil entrou em 20 de março ás 07h29min

imagem: www.osmais.com

13/03/2017

Alecrim, o golfinho feliz















Numa aldeia bem distante,
lá do outro lado do mundo,
num mar verde esmeralda profundo,
vivia um simpático golfinho.

Passava seus dias a nadar,

com muita alegria,
e a cada dia mais amigos,
conseguia conquistar.

A vizinhança da aldeia,

batizou-o com o nome de Alecrim.

Sabe  o que significa este nome?

Alegria em latim.

É uma erva poderosa,

e com um perfume delicioso.

Nosso amiguinho Alecrim,

colocava a cabecinha,
para fora da água,
e permitia que os humanos,
dele se aproximassem.

Alecrim batia as nadadeiras de felicidade,

e espalhava pingos e jatos de água,
por todos os lados.

As pessoas sorriam animadamente,

e as crianças especialmente,
gostavam de acariciar e tocar-lhe delicadamente.

Porém num certo dia,

apareceu um barco diferente,
com pessoas mal-encaradas.

Alecrim se afastou rapidamente,

pois sabia que não eram,
pessoas de bem e descentes.

Um dos homens trouxe um zarpão,

e jogou em sua direção.

Alecrim fugiu desesperadamente,

e deste dia em diante,
quando avistava um barco,
já se mantinha distante.

Isso fez com com que ele ficasse triste,

e da aldeia sumisse.

O brilho do local,

e dos moradores e visitantes,
já não era mais igual.

A magia tinha acabado.


- Coitado do Alecrim! - diziam os aldeões.

- Se sentiu ameaçado! - diziam os turistas indignados.

Uma criança teve a ideia,

de pedir ajuda á equipe da escola,
que por usa vez  buscou auxílio,
com as autoridades do lugar.

Em pouco tempo biólogos,

veterinários e ONGS de proteção,
vieram ver o que estava ocorrendo.

Descobriram o autor,

do barco infrator.

Justiça foi feita,

e se deu muito mal, 
o terrível malfeitor.

Alecrim, inteligente e intuitivo,

como todos os golfinhos o são,
voltou para a aldeia.

Os moradores bateram palmas,
e até choraram de alegria,
ao reencontrar o lindo amiguinho,
guardião-mor do lugar.

E para bem finalizar,

Alecrim agora novamente,
se deixava aproximar,
as pessoas boas de coração,
que com ele queriam brincar.

A felicidade ali retornou,

e agora a aldeia se tornou,
uma referência mundial,
em preservação e respeito á natureza,
devolvendo a magia que só podia,
ser feita pelo querido Alecrim,
um amigo assim tão encantado!


Elza Ghetti Zerbatto



imagem: www.baixaki.com.br

08/03/2017

Feliz dia internacional da mulher!








A todas nós mulheres representantes da energia feminina universal, desejo um feliz dia internacional das mulheres.
Que hajam mais pétalas e menos espinhos em nossos caminhos.
Elza Ghetti Zerbatto

imagem do site glimboo

02/03/2017

A encantada cigana
















Sob a lua cheia,
ao redor da fogueira,
gira tão bela,
em graciosos movimentos,
a encantada cigana.

Mostrando aos sensíveis,
a magia desse povo,
tão incompreendido,
místico,
sábio,
conectado ao universo,
e aos reais valores,
que devem ser aprendidos,
e belamente vividos.


Elza Ghetti Zerbatto


imagem: www.glimboo.com

20/02/2017

Nuvens de algodão

















Nuvens de algodão.
passam pra lá e pra cá,
ao sabor do forte vento.

Nuvens de algodão,
mexem com a imaginação,
acalmam a visão,
e também o coração.

O Sol entra na farra,
brincando de esconde-esconde,
por vezes se revelando,
e brilhando animado.

É a natureza em movimento,
mostrando sua força,
e também sua beleza.



Elza Ghetti Zerbatto


imagem: https://pixabay.com

13/02/2017

Tininha, a joaninha bruxinha















Num jardim mágico haviam vários insetos diferentes, coloridos e todos viviam em harmonia.
Entre eles uma linda joaninha, Tininha, que todos chamavam carinhosamente de "a joaninha bruxinha".
Quando algum inseto estava triste, com dor, ou mesmo querendo conversar, era com Tininha que iam prosear.
Sua casa era em formato de azaleia escura, e em sua cozinha haviam vários potinhos coloridos com ervas, sempre muito limpinhos.
Além de cultivar diversas plantas, flores no seu quintal, tão arrumadinho, Tininha, adorava colocar cristais ao redor das plantinhas.
Por ser muito bondosa e alegre Tininha, era muito requisitada para qualquer evento que houvesse.
Além de seus vários atributos, Tininha, sabia cozinhar como ninguém.
Seus pratos eram tão deliciosos que, muito de longe sentia-se o cheiro de suas refeições aromatizadas.
Como toda boa bruxinha também adorava enfeitar sua azaleia-casa com sininhos de vento, apanhador de sonhos, e sendo tão versátil, sempre ela mesmo pintava seu querido lar.
Ah, que gostoso passar um dia em sua companhia!
Certa vez uma alegre borboleta dourada e preta, pousou numa das suas perfumadas flores, e como estava com uma das asas machucadas, caiu de repente e começou a chorar.
Tininha, que estava na cozinha ouviu se choro e lá foi rapidamente a ajudar.
- O que aconteceu linda borboleta dourada? - pergunta Tininha.
- Fui tentar pegar o pólen desta gérbera e perdi o equilíbrio, e minha asa que já estava doente piorou. - disse a borboleta.
- Ah, coitadinha! disse com emoção Tininha.
- Venha amiguinha, se segure em minhas asas e eu preparei uma poção para cuidar de você. - disse Tininha.
E devagarzinho Tininha abraçou a borboleta, e levou-a para sua casa-azaleia.
A borboleta ficou encantada com a beleza, e simplicidade da casa de Tininha e disse:
- Amiga joaninha sua casa é muito linda!
- Obrigada borboleta dourada.
- Tenho um segredo para te contar joaninha. - disse a borboleta.
- Adoro segredos querida! - disse Tininha.
- Eu sou uma fada disfarçada de borboleta, e como me ajudou muito quero te dar uns presentes. - disse a borboleta.
Tininha ficou super emocionada e disse:
- Que honra receber em minha casa uma fada!
- Pegue esse cristal dourado e esse chapéu para ti.
- Que lindos! - diz Tininha.
- Ambos são dourados! - diz a borboleta.
- Que alegria e gratidão! - diz Tininha.
E a borboleta-fada diz:
- Você pode usá-los somente na semana da lua cheia, e se quiser fazer pedidos.
E continua:
- Deve deixá-los no tempo por 24 horas. Só não pode esquecer de lavar o cristal, se não seus pedidos não se materializarão.
E após falar isso as asinhas da borboleta-fada se curaram.
Tininha ficou pasma e indagou:
- Como você se recupera tão rápido amiga querida?
E a borboleta-fada responde:
- Porque a energia de sua casa é de amor, amizade e cura, e foi isso que me trouxe até as flores e plantas de seu quintal.
- Lembre-se também amada joaninha, que quando seu cristal quebrar, você deve devolvê-lo á terra. - disse a borboleta-fada.
- Por quê? - indaga Tininha.
- Porque ele precisa continuar com sua evolução no lugar de onde veio: a terra.
- Nossa, não sabia disso! - falou Tininha.
- Sim, e nunca deixe os sentimentos negativos invadirem sua casa e seu coração, porque aí eles deixarão de ser encantados, e nós fadas não poderemos mais entrar.
E Tininha falou:
- É verdade borboleta-fada. É por isso que sempre eu renovo meu lar com plantas, cristais, converso com meus amigos, e procuro ajudar a todos.
A borboleta-fada disse:
- É isso mesmo e continue assim. - disse a borboleta.
- Adeus amiguinha joaninha. Preciso voltar ao meu reino.
- Que pena que não podes ficar mais. - disse Tininha.
- E sempre voltarei amiguinha. Cuide bem de seu jardim. - disse a borboleta.
- Tchau!
- Tchau!
E desse dia em diante Tininha sempre olhava com mais carinho ainda para seu lar, e seu quintal, afinal quem sabe receberia a visita de alguma outra borboleta-fada?

Elza Ghetti Zerbatto


imagem: www.baixaki.com.br

Sarau Casa de Cultura Tremembé

CASA DE CULTURA TREMEMBÉ RUA MARIA AMÁLIA LOPES DE AZEVEDO 190 TREMEMBÉ--SÃO PAULO TEL. (011) 2991-42-91 SARA...