12/01/2018

O cactus abandonado


















A bruxinha estava no supermercado,
fazendo suas compras calmamente,
quando ao passar pela gôndola de bebidas,
notou algo diferente e inusitado.

Era um pequeno vaso de cactus,
que ali fora abandonado.

Olhou-o ali tão mirradinho,
quase saindo de seu vasinho,
de tão seco que estava,
e ficou muito triste.

Comentou com o bruxinho,
que iria levá-lo para sua casa.

Ele nada disse pois sabia,
do amor dela pelas plantinhas,
e do carinho com que ela as tratava.

A bruxinha o apanhou,
colocou-o delicadamente,
no seu carrinho num cantinho,
longe das outras compras,
para evitar de machucá-lo.

Pagou-o e o trouxe para seu lar,
colocou-o num vaso maior,
e molhou-o.

O cactus rapidamente,
a presenteou com um bracinho folhinha.

A bruxinha feliz então ficou,
e em pouco tempo,
o cactus cresceu muito,
e hoje está bem verdinho,
forte e com muitos bracinhos.

Nada como um pouco de amor e carinho,
para transformar o que é esquecido,
em algo belo e viçoso.

O cactus ganhou até um enfeitinho,
da amiga da bruxinha,
uma linda e simpática bonequinha,
para deixar o vasinho mais engraçadinho.

Elza Ghetti Zerbatto





imagem: https://br.freepik.com


05/01/2018

A abelhinha na casa da bruxinha
















Zum, zum, zum,
zune a abelhinha sem parar.

Em zig zag pelo chão,
subindo e descendo,
fazendo um tremendo barulhão.

A bruxinha observava-a atentamente,
em seu movimento intenso e pensava:
- O que será que quer a dona abelhinha?

Zum, zum, zum.

- Deve ser por causa de minhas plantinhas,
que estão bem verdinhas. - pensou ela.

- Ou será que ela está chamando as amiguinhas,
para fazer um lar em minha casinha? - continuou em sua reflexão.

- Não importa o motivo e nem mesmo a explicação.
- A dona abelhinha será sempre muito bem-vinda,
com sua ruidosa agitação,
e poderá ficar o quanto tempo necessitar. - continuou ela a pensar.

- Obrigada amiguinha!
- Sua estadia é sinal de alegria,
beleza e magia.

- Venha sempre nos encantar!


Elza Ghetti Zerbatto





Um feliz 2018 a todos com muitas energias positivas!

19/12/2017

A joaninha amarelinha



















Na tigela de água do cãozinho,
um bichinho apareceu.

Para que ele não se afogasse,
a bruxinha o recolheu.

Achou-o estranho e diferente,
até pensou ser um carrapato,
mas para sua surpresa,
era uma joaninha assustadinha.

A bruxinha pegou um objeto,
e nesta a joaninha colocou.

Era uma pequena menininha,
de cor amarelada,
com bolinhas pretinhas.

Para evitar que ela se machucasse,
a bruxinha com cuidado,
pôs a criança no vaso de plantinhas.

Pelo menos aí ela estará segura,
e encontrará alimento,
por um espaço de tempo.



Elza Ghetti Zerbatto


Desejando a todos um natal de muita paz, alegria e harmonia
Abração com carinho



12/12/2017

Besourão pretão





















Zum zum zão,
besourão pretão.

Zum zum zão,
besourão pretão.


Voou pelas plantas.


Os insetos saíram correndo,
com medão do bichão.

Zum zum zão,
que baita confusão!

Ainda bem que ele foi,
embora rapidão,
o danado do besourão pretão.

Está tudo sossegado,
finalmente então!

Elza Ghetti Zerbatto



imagem: https://pixabay.com/pt/

06/12/2017

Minha participação na Antologia Prosa e Verso XX da Grebal














Bom dia pessoas queridas!
É com grande alegria que compartilho com vocês, mais uma realização que tive neste ano, a minha 11ª participação em antologias.
Em setembro de 2016 fui convidada pela escritora Eliana Neri, a fazer parte dos associados do Grebal.
Mas o que é o Grebal?
É o Grêmio Barramanense de Letras, ou seja um instituição voltada á arte, literatura e cultura que existe desde 6 de março de 1975, na cidade de Barra Mansa no estado do Rio de Janeiro.
O Grebal promove eventos culturais em geral, e em especial lançamento de livros, antologias, saraus, entre outros.
Neste ano recebi o convite para participar do concurso referente á antologia Prosa e Verso XX, e estou entre os autores selecionados.
Vou deixar o link no final da postagem, para vocês conhecerem um pouco melhor da história desta maravilhosa instituição, e também para quem quiser ler o livro em pdf basta acessar o site.
Devagarzinho, passo-a-passo vou deixando minha marquinha, e a cada dia mais realizada por sonhar, e ter quem me dê força e incentive a nunca parar.
Aguardem fotos do evento e dos livros que postarei em breve.
A foto aqui postada foi retirada do site da Grebal, com único intuito de divulgação da mesma.
Gratidão aos amigos queridos que aqui sempre passam. 
A todos uma semana de alegria, paz, e muita harmonia.
abração com carinho

Elza Ghetti Zerbatto






site da Grebal: http://www.grebal.com.br













29/11/2017

Sou do metal mas quando vejo uma barata...










Gabriel é um rapaz de 22 anos, cabelos castanhos longos, barba, magro e fã incondicional do estilo metal.
Não importa se hard, heavy, death, pop, folk, rock antigo ou atual.
Seu negócio é curtir com os amigos a balada, e tocar com o pessoal de sua banda.
Como muitos jovens seu quarto é um desespero total!
Sua mãe já falou tanto, tanto, tanto que até desistiu de gastar energia com a zona em que ele vive.
Moedas no chão, documentos espalhados, papéis, tickets de show, perfumes, posters, e é claro um bom pc e um video game para se distrair, quando não está tocando ou trabalhando.
Afinal depois de 8 horas de trampo estressante no telemarketing, cliente chato, patrão que passa meta pra cumprir, linha que cai,ufa!
Ninguém merece!
Porém tem uma coisa que o deixa abalado emocionalmente, e o faz travar em desespero, nessa hora se lembrando de alguém que o ama assim mesmo:
_ Mãe tem uma barata no meu quarto!!!!!! - grita agoniado.
- O que foi moleque?
- Caramba mãe, olha pra mim ó! 
- Ela tá aí na parede á sua direita.
Lá vai a mãe procurar a causadora de confusão.
- Pô mãe, ela deve ter entrado na minha bag.
- Olha aí!
E a mãe olha e diz:
- Gabriel, pô cara, você com 1,90 metro de altura tem medo de um bichinho de alguns centímetros?
O pai bem sarcástico diz:
- Gabriel, seu eu fosse uma barata, não ia ficar esperando ninguém vir me matar.
A mãe retruca:
- Ela é pequena mas tem patinhas  rápidas. Toma vergonha na cara, cara!
Depois de uma busca arqueológica minuciosa, pelo labirinto de coisas espalhadas do quarto, a mãe desiste.
Gabriel insiste:
- Caraca mãe, matou ou não?
- Gabriel, ela fugiu, pô!
- Ô mãe, viu?
- Eu é que tenho culpa da barata querer dar um rolezinho no teu quarto? - diz a mãe em tom irônico.
- Vê se arruma esta .... e aproveita e dá uma limpada. - diz a mãe já irritada.
- Fui! - diz a mãe.
 Afinal sou do metal mas quando vejo uma barata....


Elza Ghetti Zerbatto




imagem: https://br.123rf.com/photo

21/11/2017

A fadinha da cor











A bruxinha estava infeliz.
Deveras chateada.
Olhava para sua casa,
e suspirava desanimada.

As paredes estavam descascadas, 
os móveis descoloridos,
tudo muito sem vida!

- O que vou fazer?
- Preciso dar uma melhorada em minha residência amada.
Pensou, pensou, pensou,
porém nenhuma resposta encontrou.

De repente quando não mais pensava,
sentiu algo diferente.
Uma vontade de mudar surgiu,
queria tudo colorir e renovar.

Em sua mente criativa,
mil ideias malucas apareceram,
e neste exato momento um barulho escutou.

Um objeto caiu de seu altarzinho,
e para sua surpresa e felicidade,
viu um ser bem pequeninho,
que reconheceu ser uma linda fadinha.

A bruxinha sorriu e com ela conversou:
- Amiga fadinha, seja bem-vinda!
- Bruxinha querida o que precisas de mim?
- Ah, amiguinha, quero mudar a cara de minha casinha.
- Você acertou! - diz a fadinha.
- Como assim? - indagou a bruxinha.
- Sou a fadinha da cor.Vim te ajudar a dar uma forcinha para fazer sua casinha se transformar.

- Tens alguma sugestão? - indaga a bruxinha.
- Podemos pintar seus móveis, colocarmos tecidos vistosos, usaremos garrafas pet para fazer uma hortinha.
- Que ideias maravilhosas! - disse animadamente a bruxinha.
- Veja suas paredes você mesma pode pintar e modificar. - disse a fadinha.
- Vou comprar o material então. - disse a bruxinha.

Ao regressar estava toda equipada com pincéis, tintas, rolos, tecidos, colas, lixas, e muita disposição e alegria.

- Amiguinha vamos começar? - indaga a ansiosa bruxinha.
- Só se for agorinha mesmo! - disse a divertida fadinha.
E em algumas horas a casa da bruxinha estava,
totalmente renovada.

O clima de seu lar era de harmonia.
As cores voltaram e a energia mudou completamente.

- Obrigada fadinha da cor!
- Não tem de quê bruxinha.
- Sua ajuda foi muito importante, então quero te oferecer um presentinho.

E a bruxinha deu á fadinha,
um gostoso  brownie de chocolate.

A fadinha lambeu os dedinhos,
e agradeceu muito contente.
- Obrigada bruxinha!
E assim a casa da bruxinha ficou mais bonita.
seu coraçãozinho sorri alegremente.

- Nada como ter amigos para nos inspirar.  - diz a bruxinha.
- A vida pode ser mais colorida, se resolvermos mudar. - finaliza ela.


Elza Ghetti Zerbatto




imagem: www.baixaki.com.br

O cactus abandonado

A bruxinha estava no supermercado, fazendo suas compras calmamente, quando ao passar pela gôndola de bebidas, notou a...